Acho que o título desse post resume tudo sobre a elrow que rolou no último final de semana.

Tentarei fazer o impossível… descrever pra vocês uma das melhores experiências nightlife que já tive.

A Plusnetwork, uma das maiores empresas de música eletrônica do país, trouxe ao Brasil pela primeira vez a festa elrow, no Estádio do Canindé, em São Paulo.

A elrow é conhecida como a festa mais louca do mundo e possui diversos temas como: Sambodromo do Brasil, Far West, El Bowsque Encantado, Psychedelic Trip, Bronx, Rowlympic Games, Horroween, Bollywood e outros. O tema da primeira edição brazuca foi Bollywood.

Bollywood: a maior indústria de cinema indiana.

Dias antes do evento, procurei me policiar para não ir atrás de fotos e vídeos da festa, evitando todo tipo de spoiler. Apesar da pulseira de imprensa, eu fui com a ideia de absorver a festa ao máximo e trazer essa experiência para vocês. Eu não pude ter feito escolha melhor <3

O que esperar da festa mais louca do mundo com esse tema?

Antes de tudo, dou destaque ao line up parrudo que a festa trouxe: Soldera, Bastian Bux, Eagles & Butterflies, Andhim, Patrick Topping, Jamie Jones e Toni Varga. Line pensando milimetricamente para que a festa tivesse um flow magnífico. Soldera, o único brasileiro, representou muuuuito bem!!! Muitos elogiaram o Andhim, outros do inesperado/incrível B2B do Toni Varga com Bastian Bux no final da festa, mas na minha opinião foi Jamie Jones que orquestrou a noite. Foram poucos momentos que ele deixou o público dar uma respirada. Sim, foi um set intenso do começo ao fim, fazendo eu gritar a cada drop junto com o público ali presente.

Como era de se esperar, o ambiente foi um show a parte. No começo da festa você conseguia ver toda a decoração com tapetes ornamentais forrando o teto do local, posteriormente dividindo espaço com os papéis picados e fitas de tecido arremessados por todo o salão. Coisa linda de se ver!!!

É eita atrás de eita!!!

Cada minuto dentro da festa eu lembrava de uma famosa expressão “é eita atrás de eita!!!”. Eram explosões de papel picado, dançarinos interagindo com o público, tudo orquestrado pelos dj’s que, literalmente, comandaram a noite.

Pra vocês terem ideia do clima da elrow. Foram 12h de evento, eu devo ter dançado/curtido umas 11h seguidas e saí de lá mais feliz do que entrei, já esperando pela próxima!

E a infra estrutura?

A entrada da festa, banheiros e esquema de bar, é um diferencial que vejo nos eventos da Plusnetwork. Mesmo com o local cheio, eu não tive que esperar nenhum minuto nas filas. Super tranquilo na entrada do evento, banheiros e balcão das bebidas. Bebidas com o cartão pré pago, com várias pessoas recarregando pra você próximos aos bares. Preços um pouco salgado pelas bebidas, mas são os mesmos preços que vemos em bares e eventos grandes.

Camarote na lateral do palco, em uma distância confortável. Banheiros e bares mais tranquilos que na pista.

Futuro da elrow no Brasil?

Infelizmente não temos nada concreto. O Brasil está recebendo inúmeras festas gringas e a Plusnetwork está investindo pesado pra trazer esses eventos. Ela que já trouxe Tomorrowland, Milkshake Festival e Electric Zoo, depende muito da situação econômica que pesa muito no planejamento do evento. Alta do dólar e crise financeira são os principais fatores. Mas se for parar pra ver, 2017 já foi um ano de respiro em relação aos últimos anos. 2018 tem tudo pra ser o ano de grandes eventos de música eletrônica e esperamos ver todos esses, ainda em 2018!

E se tiver elrow, estarei presente com minha caravana cheia de amigos! ;D 

Evento mais que recomendado aos amantes de música eletrônica. 

 

Update 29/12: preview do aftermovie produzido pelos monstros da Flashbang!

X