Um novo instrumento musical permite que as pessoas façam música com suas mentes.
O Encephalophone, aparelho recém-desenvolvido que pode ser usado sem o auxílio das mãos, é mais uma novidade da tecnologia moderna. A idéia dos cientistas é que este novo instrumento ajude a capacitar e reabilitar pacientes com deficiência motora em resultado de males como acidentes vasculares cerebrais, lesões da medula espinhal, amputação ou esclerose lateral amiotrófica. O Encephalophone capta sinais cerebrais através de uma espécie de boné que transforma esses sinais em notas musicais. A invenção é acoplada a um sintetizador, permitindo que o usuário crie música usando uma grande variedade de sons instrumentais. Thomas Deuel, da Universidade de Washington, originalmente desenvolveu o aparelho em seu próprio laboratório independente, em colaboração com Felix Darvas, um físico da mesma Universidade. Logo no início do estudo, os pesquisadores obtiveram ótimos resultados, especialmente em relação a facilidade do uso do equipamento. Em um teste preliminar com 15 pacientes, todos conseguiram criar música sem nenhum treinamento prévio.O Encephalophone baseia-se em interfaces cérebro-computador usando um método antigo, chamado eletroencefalografia, que mede sinais elétricos no cérebro.

Os cientistas começaram a converter esses sinais em sons na década de 1930 e, na década de 1960, em música. Mas nessa época, os métodos ainda eram difíceis de controlar e não eram facilmente acessíveis para usuários não especializados. Existe grande potencial para o Encefalofono melhorar positivamente a reabilitação de pacientes com AVC e pessoas com deficiência motora”, afirmou o cientista.

Fonte Mix mag

 

X