Carregado para o YouTube, o vídeo que você verá no final desta matéria apresenta, com base em estudos realizados por cientistas de renomadas universidades, o porquê que nossos cérebros amam música com grave.

O vídeo explica como o cérebro das pessoas reagem a esse som, que é a parte mais baixa de uma harmonia em uma composição musical, muito presente no bass music e em diversos gêneros e estilos de música.

De acordo com o vídeo, o cientista cognitivo Karin Stromswold, da Universidade Rutgers, dos Estados Unidos, destaca que “um feto ouve sons em sua maior parte de baixa frequência, como batimentos cardíacos da mãe e o ritmo de sua voz”. 

Com isso, compreende-se que antes mesmo de nos conhecermos por gente, temos a interação com o grave de uma música ou um som qualquer. 

No vídeo frisa também que o baixo na música tem um impacto único sobre o corpo humano, podendo até mesmo causar mudanças na adrenalina e na frequência cardíaca de uma pessoa.

Um exemplo de que o nosso cérebro é muito mais sensível em sincronismo com tons de baixa frequência, é apresentado através de um estudo realizado na universidade McMaster, no Canadá, que concluiu através de experimentos com 35 participantes, que 50 milissegundos de uma nota fora da batida, pode desencadear no cérebro uma resposta de negatividade, ou seja, incompatibilidade.

Fonte:Phouse

X